segunda-feira, janeiro 31, 2005

Relatório final do Plano Municipal de Apoio aos Sem-Abrigo de Lisboa criado na sequência da vaga de frio


No âmbito da vaga de frio que se sentiu em Lisboa na semana passada, a Câmara Municipal de Lisboa criou uma plano de apoio aos sem-abrigo da cidade. Esse plano, para além do reforço de camas nos centros de abrigo municipais (mais 144 camas) e do reforço das equipas de rua (cerca de oitenta técnicos), consistiu na criação de um espaço de apoio temporário a esta população, cujo relatório final agora se apresenta.

Este espaço esteve em funcionamento na Rua da Palma, 169 (Palácio da Folgosa), entre os dias 25 e 28 de Janeiro, entre as 13 e as 21 horas.

1. O Espaço de Apoio aos Sem-Abrigo reflectiu o trabalho de articulação que tem vindo a ser desenvolvido no âmbito do Plano Lx – Plano Municipal de Prevenção e Inclusão de Toxicodependentes e Sem-Abrigo contando neste caso com a colaboração e o empenho das seguintes Instituições: Associação Futuro Autónomo, Associação Novos Rostos- Novos Desafios, Legião da Boa Vontade, Movimento ao Serviço da Vida, Serviço Jesuíta aos Refugiados, Exército de Salvação, Médicos do Mundo, Vitae - Centro de Acolhimento do Beato, Comunidade Vida e Paz, Centro Fonte da Prata

2. Existiam neste espaço as seguintes respostas:
- Local de Acolhimento para permanência dos indivíduos sem-abrigo;
- Distribuição de alimentos quentes;
- Diagnóstico de necessidades com base no preenchimento de uma ficha individual e respectivo encaminhamento;
- Recolha de alimentos, vestuário e agasalhos que de imediato foram reencaminhados para as necessidades mais urgentes;
- Apoio à saúde (Médicos do Mundo, Rastreio do CDP, enfermeiros do Hospital dos Capuchos).

3. Em média, por dia, 144 indivíduos recorreram aos serviços deste Espaço de Apoio, abrigando-se do frio e usufruindo da roupa e alimentação distribuída.

4. É importante referir que registámos 221 indivíduos diferentes, no total dos indivíduos que recorreram a este espaço, tendo sido preenchida uma Ficha Individual relativa à situação de cada um tendo sempre em vista a proposta de resposta concreta.

5. O Espaço de Apoio aos Sem-Abrigo encaminhou, no total, 71 indivíduos diferentes para os Centros de Abrigo inseridos no Plano Lx – Plano Municipal de Prevenção e Inclusão de Toxicodependentes e Sem-Abrigo.

- Dia 25: Entradas (130); Indivíduos diferentes (93); Encaminhamentos Centro de Acolhimento (32 - Beato)
- Dia 26: Entradas (155); Indivíduos diferentes (57); Encaminhamentos Centro de Acolhimento (15 - Beato)
- Dia 27: Entradas (148); Indivíduos diferentes (43); Encaminhamentos Centro de Acolhimento (18 - Beato)
- Dia 28: Entradas (142) Indivíduos diferentes (28); Encaminhamentos Centro de Acolhimento (6 – Beato e Arco Carvalhão)
- Totais: Entradas (575, sendo a média diária de 144) Indivíduos diferentes (221); Encaminhamentos Centro de Acolhimento (71)

Para a Vereadora da Acção Social da Câmara Municipal de Lisboa, Helena Lopes da Costa, “os resultados acima referidos vêm confirmar os dados obtidos no “Estudo sobre a População de Rua na Cidade de Lisboa”, efectuado no passado dia 30 de Novembro de 2004, relativamente ao número de indivíduos existentes em situação de rua, ou seja, houve uma diminuição de cerca de 50% comparativamente ao Estudo efectuado em 2000. São dados fiáveis que se aproximam da realidade. Confirmam também que as respostas institucionais existentes no âmbito do Plano Lx – Plano Municipal de Prevenção e Inclusão de Toxicodependentes e Sem-Abrigo, nomeadamente o número de camas disponíveis nos Centros de Abrigo municipais, são suficientes para as necessidades identificadas, mesmo em situações de emergência como a sentida na semana passada”.

Por outro lado, para Helena Lopes da Costa “a complexidade que sempre caracteriza um plano de emergência deste tipo levou a Câmara Municipal de Lisboa a procurar o apoio e colaboração de várias pessoas e entidades, às quais deixo o nosso sincero agradecimento:
- à população de Lisboa e a todas as pessoas que entregaram alimentos e roupas;
- aos voluntários;
- à Polícia Municipal de Lisboa;
- ao Ministério da Administração Interna- Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil;
- a várias empresas: Grupo Auchan, Santiago e Santiago, S.A., Têxteis Pub, Lda., Zulfatex, Lda., Armazém Central da Palma, Lda.;
- ao CDP- Centro de Diagnóstico Pneumológico- de Lisboa- Ministério da Saúde;
- à Associação Abraço
- às Instituições parceiras do Plano Lx- Plano Municipal de Prevenção e Inclusão de Toxicodependentes e Sem-Abrigo (mencionados no ponto 1);
- aos diferentes serviços da Câmara Municipal de Lisboa”
.