sábado, fevereiro 26, 2005

Imprensa: Projecto de intervenção social no Intendente


Notícia da Agência Lusa, da autoria da jornalista Joana Haderer: Câmara encaminhou 34 toxicodependentes para acolhimento. A Câmara de Lisboa encaminhou para o hospital e centros de acolhimento 34 toxicodependentes que viviam na Rua do Benformoso, no Intendente, no âmbito de uma intervenção a decorrer naquela zona desde Julho de 2003.
Num comunicado hoje divulgado, fonte do gabinete da vereadora da Acção Social, Helena Lopes da Costa, anunciou que a terceira fase do projecto de intervenção social da autarquia, que teve início em Janeiro, "dirigiu-se ao grupo de 34 toxicodependentes, a residir na Rua do Benformoso".
Segundo a autarquia, os toxicodependentes "não aderiram a qualquer proposta de projectos de vida alternativos" e encontravam-se "muito debilitados em termos físicos".
Destes 34 toxicodependentes, 13 foram acolhidos pelo Centro de Abrigo do Arco do Carvalhão e dez foram conduzidos ao centro de acolhimento da Rua de Cascais.
Quatro pessoas foram encaminhadas para o hospital, um regressou a casa e seis toxicodependentes foram acolhidos em comunidades terapêuticas.
Nesta fase do Plano LX – Plano Municipal de Prevenção e Inclusão de Toxicodependentes e Sem-Abrigo, estiveram envolvidas equipas de rua compostas por técnicos das associações ligadas à iniciativa – com unidades móveis com consultório, administração de metadona e que permitem o transporte de utentes – além da Polícia Municipal, PSP e Polícia Judiciária.
O Plano LX pretende intervir junto das mulheres que recorrem à prostituição, dos arrumadores de carros, dos sem-abrigo e dos toxicodependentes que deambulam pela zona do Intendente.
A autarquia, em parceria com diferentes instituições sociais, realizou naquela área um trabalho de acção directa, através de equipas de rua, e criou estruturas fixas, como o gabinete de apoio social, equipamento para banhos e o gabinete de apoio à mulher.
Até agora, quase 800 toxicodependentes foram contactados pelas equipas, tendo cerca de um terço sido acolhido em centros de abrigo e de tratamento.
Segundo o gabinete da Acção Social, as pessoas que foram integradas nestes centros eram aquelas que deambulavam pelo Intendente, enquanto as restantes são toxicodependentes oriundos dos concelhos vizinhos, principalmente Almada, Setúbal, Sintra e Amadora, que se dirigem àquela zona para comprar droga.

Poderá consultar mais notícias sobre este assunto nos links Diário de Notícias, Jornal de Notícias, Portugal Diário e RTP ou nas edições de hoje dos jornais Notícias da Manhã, Metro e Destak.