sábado, junho 11, 2005

”Noivos são investimento na cidade”

Helena Lopes da Costa em entrevista ao Correio da Manhã, sobre a presente edição da iniciativa Casamentos de Santo António (11 de Junho de 2004):

Helena Lopes da Costa, vereadora responsável pelo pelouro da acção social na câmara de Lisboa, faz um balanço de mais uma organização dos Casamentos de Santo António, explica a sua importância para a cidade e defende a igualdade de oportunidades para todos, independentemente da religião (ou ausência dela).

Correio da Manhã – Qual a importância dos Casamentos de Santo António para a cidade?

– Reabilitar uma cidade não significa apenas pintar as fachadas dos edifícios, manter a traça original dos prédios ou calcetar as ruas com a calçada à portuguesa. É também importante manter vivas algumas tradições e não esquecer a ideia de base da iniciativa, que é ajudar os noivos mais carenciados a terem o seu casamento de sonho.

– O evento conta com vários patrocinadores. Ainda assim a Câmara tem alguns gastos com ele? Quanto?

– Mesmo com a ajuda dos patrocinadores, a Câmara tem de financiar o Copo-d’água e tem que divulgar o evento. Prefiro dizer que os Casamentos de Santo António são um investimento, para a cidade e para os lisboetas, do que falar em euros.

– Quantos candidatos havia à partida a concorrer para a edição deste ano?

– Existiram 70 inscrições. Mas é claro que tivemos que fazer uma selecção .

– Há alguma novidade nesta edição?

– Este ano vamos ter uma alteração: o casamento civil será nos Paços do Concelho. E isto também é importante: para nós, é fundamental conciliar a tradição com mudanças inovadoras.

– Pessoalmente, o que representa para si o dia em que os 16 casais dão o nó?

– Desde que assumi as funções de vereadora da Acção Social, que sou confrontada com as mais variadas situações. Todos os dias lido com pessoas carenciadas, que sonham em ter uma casa condigna, por exemplo. Assistir ao casamento de 32 jovens que dão o primeiro passo em direcção a uma vida diferente e saber que isso é possível graças a esta iniciativa dá-me um ânimo imenso para continuar.

– Por que razão a noite de núpcias não foi ainda conseguida?

– Os Casamentos ocorrem num fim-de-semana seguido de um feriado em Lisboa. Nesta altura, os hotéis estão completamente cheios, sendo impossível reservar quartos para os noivos.

– Qual a importância de haver casamentos civis numa festa, em princípio, religiosa?

– É importante não fazer discriminações e fomentar a igualdade de oportunidades. Por exemplo, em 2001, foi realizado um casamento muçulmano, numa mesquita. E porque não?